Imaginarius 2017
 

Sociedade

Retroceder Imprimir

Pequenos hospitaleiros acolhem peregrinos

No Jardim de Infância de Santo António, em Escapães, concelho de Santa Maria da Feira, os peregrinos que percorrem os caminhos de Santiago de Compostela e de Fátima são recebidos pelas crianças, dos 3 aos 5 anos, acompanhadas pela educadora e auxiliares. Basta tocar à campainha, entre as 7h30 e as 18h30.

Pequenos hospitaleiros acolhem peregrinos

Água, Fogaça da Feira, repouso e muitos sorrisos estão garantidos no “Albergue de Peregrinos”, o mais recente projeto deste jardim de infância que, desde 2014, gere a “empresa” Casa da Árvore.

No “Albergue de Peregrinos”, localizado em pleno Caminho do Norte, por onde seguem peregrinos a caminho de Santiago de Compostela e, no sentido inverso, a caminho de Fátima, já foram recebidos japoneses, canadianos, brasileiros, coreanos e italianos, que se mostraram surpreendidos com as particularidades deste espaço de acolhimento temporário, criado no âmbito do projeto municipal “Em…preender felicidade no meu concelho”.

“Sentimos a alegria interior das nossas crianças. Sentimos que estão felizes e que esta é uma experiência gratificante para elas”, confidencia a educadora, Maria João Silva, que vê neste projeto um estímulo e um reforço da componente de educação para a cidadania, do respeito pelo outro, da aceitação da diversidade e da tolerância.

Para estas crianças, que também integram o projeto-piloto de promoção da diversidade e interculturalidade “Janela Aberta”, financiado pelo Conselho da Europa, através do qual partilham experiências e conhecimentos com uma escola da Bélgica, a abertura a novos desafios, experiências e culturas não é uma novidade.

Joaquim Donário, membro da Associação de Peregrinos “Via Lusitana” e hospitaleiro no Albergue de Albergaria-a-Velha, visitou o Jardim de Infância de Santo António e ficou surpreendido. Não estava à espera do que viu, desde as particularidades da localização e dos espaços da escola, à abordagem feita ao Caminho de Santiago e, particularmente, a forma de acolher.

“Estas crianças têm o privilégio de, desde tenra idade, contactar com um mundo que, nos adultos, muda vidas por completo”, refere o hospitaleiro, que vê neste “Albergue de Peregrinos” todo o acolhimento típico do Caminho de Santiago: a água, o repouso, as palavras de conforto, a partilha. “É uma semente lançada para o futuro”, reforça Joaquim Donário.

Para a vereadora da Educação da Câmara de Santa Maria da Feira, Cristina Tenreiro, “estes projetos educativos municipais de promoção do empreendedorismo, da diversidade e da interculturalidade visam, sobretudo, estimular a participação ativa das nossas crianças, dando voz às suas ideias, curiosidades e desejos, num contacto permanente com realidades fora dos muros da escola e da sua comunidade”.

15:12 | Sex, 28 Abr 2017

GCRPI